ESEF | http://esef.br

Dois Congressos na Alemanha contam com presença da ESEF

Publicada em 25/04/2017 às 13:57

Entre 20 de setembro e 4 de outubro, a Profa. Dra. Bettina Ried representou a ESEF em dois eventos científicos internacionais da área na Alemanha. Entre 23 e 25 de setembro foi realizado o Simpósio da Sociedade Alemã de Ciências do Esporte (Seção Natação) na Universidade de Leipzig, sede de um dos mais renomados centros de pesquisa em esportes de alto rendimento. O tema do Simpósio foi a inserção da Natação na formação profissional em Educação Física e Esportes nos currículos universitários alemães. Representantes de várias universidades alemãs apresentaram os currículos de suas instituições relativos à área da Natação, suas dificuldades e as soluções encontradas para os desafios da formação profissional em uma área em constante mudança. Em paralelo, uma visita ao parque tecnológico da pesquisa em natação de alto rendimento mostrou como a Universidade de Leipzig está assessorando o esporte de alto rendimento, e várias palestras de renomados treinadores e professores da área de iniciação trouxeram suas contribuições.

Entre elas, um dos pontos altos foi a palestra do diretor da Federação de Natação da cidade de Berlim sobre a importância, já na iniciação à natação, do ensino da ondulação do nado borboleta. Ele argumentou que, se por um lado a ondulação é técnica primordial para garantir o bom aproveitamento nas provas de piscina, por outro constitui uma habilidade com a qual crianças pequenas já conseguem se locomover abaixo da água já que sua execução depende muito mais da coordenação adequada da musculatura do tronco do que dos membros. Esse raciocínio está inserido em uma tendência mais ampla que se observa: há especialistas que atribuem à ondulação potencial para se tornar um quinto nado competitivo (RITZMANN, 2012). A apresentação dos resultados de dois trabalhos de doutorado relacionados à natação, um dos quais da Profa. Bettina, sobre a influência de experiências anteriores sobre a aprendizagem da pernada do nado peito (desenvolvido com apoio da ESEF), foi bastante discutida e elogiada pelos participantes do evento.

Na semana seguinte, de 28 a 30 de setembro, ocorreu a 11.a Conferência Conjunta de Controle e Aprendizagem Motora, Biomecânica e Treinamento na Universidade Técnica da cidade de Darmstadt, na qual a Profa. Bettina apresentou resultados parciais de sua tese de doutorado, junto com outros 60 trabalhos, selecionados entre mais que 110 trabalhos submetidos. Em diversas palestras, pesquisadores renomados de diversos países reivindicaram mais atenção, na pesquisa em Controle e Aprendizagem Motora, para uma visão mais ampla do processo de aprendizagem e controle. Na opinião dos especialistas, entre outros da americana Dagmar Sternad, a pesquisa atualmente se concentra demais em esclarecer detalhes muito minuciosos que, sem dúvida,

merecem atenção, mas que podem levar a uma visão muito fragmentada, implicando o perigo da perda da visão do todo. Essa visão do todo deve considerar que o processo de aprendizagem de habilidades complexas se orienta por estratégias capazes de tolerar erros (ou desvios) e aproveitá-los em benefício de uma maior variabilidade nas soluções. Assim, exploram-se soluções que apresentam estabilidade dinâmica, otimizando a previsibilidade da dinâmica dos objetos e do ambiente.

Em uma visão bastante próxima, também centrada na interação do agente com o contexto, o pesquisador Jan Peters, da Universidade de Darmstadt, trouxe suas pesquisas com inteligência artificial aplicada a robôs. Seus resultados indicam que a aquisição de habilidades é iniciada e guiada por demandas do contexto situacional, como por exemplo rebater uma bola de tênis de mesa, e começa com a geração de uma representação mental da habilidade a partir de componentes (“tijolos”), que são complementados pela aquisição de “hiperparâmetros” dessas habilidades que, em conjunto, permitem a aprendizagem de habilidades complexas. Assim por exemplo foi possível “ensinar” um robô a rebater bolas de tênis de mesa não por meio de um software altamente detalhado que previsse todas as situações possíveis em um jogo, mas guiando o seu braço, para permitir-lhe reconhecer as demandas de uma situação de jogo e escolher e adequar os “tijolos” disponíveis em seu acervo de componentes motores que compõem as habilidades.




Link original: https://esef.br/2017/04/25/dois-congressos-na-alemanha-contam-com-presenca-da-esef/