ESEF | http://esef.br

Projeto de Extensão – Nado sereia

Baixaram as sereias em Jundiaí!

       A partir de agora, um projeto especial vai trazer toda a magia das sereias para as águas da Escola Superior de Educação Física, no primeiro curso de natação para sereias na região. Mas por que sereias?

Não somente Ariel, a sereia do filme animado da Disney, mas também Iara, a sereia do norte brasileiro, são meninas ou mulheres que no lugar das pernas têm caudas de peixe e se movimentam com grande desenvoltura pelas águas.

No conto de fadas dinamarquês, que foi transformado em desenho animado pela Disney, a fada das águas salva um príncipe do afogamento, mas como ela não consegue sair da água, ele acha que não ela, mas uma outra menina o tivesse salvo, e acaba casando com essa outra.

As sereias são seres mitológicos cujas histórias são contadas desde a antiguidade grega e em todas as culturas. Muitas vezes lhes são atribuídos poderes para salvar os marinheiros, mas também de encantá-los com sua beleza para leva-los ao fundo da água, que é o caso da sereia brasileira Iara, que se transformou, de índia guerreira para sereia, em uma noite de lua cheia.

Em todo caso, o encanto é uma das marcas registradas das sereias, que também foi vista na recente novela da Rede Globo, no personagem da Ritinha, que se movimenta com graça e desenvoltura pelo aquário – quem já não teria sonhado em estar no lugar dela, de um ser sobrenatural?

       Mas não foi o conto de fadas nem a novela que motivou os professores e pesquisadores da área de natação na ESEF a debruçar-se sobre essa temática especial. O que fascina os cientistas da natação não é a graça da sereia, que muitas vezes tem sido vista apenas sob a ótica da beleza e da sensualidade, com cauda suntuosa, corpo de modelo e cabelos e maquiagens deslumbrantes, que vemos em propaganda de sessões de fotografia temáticas. Tão importante quanto essa beleza externa são as habilidades típicas da sereia de movimentar-se com graça pela água: ondulações, giros, rolamentos e outros movimentos que em terra já são difíceis, e executá-los na água muitas vezes é mais difícil ainda, além de requerer uma aprendizagem e treinamento consideráveis. São essas habilidades e sua aprendizagem, que constituem um fator importante na aprendizagem do nadar, para desenvolver a competência de se movimentar com segurança, eficiência e graça na água. Diversificam as experiências motoras e com isso prestam importantíssima contribuição ao desenvolvimento motor, cognitivo e afetivo não somente das crianças, mas de todas as pessoas. Além da aprendizagem e do treinamento, esses movimentos exigem esforço físico intenso, que envolve o corpo inteiro. Ou seja, representam uma atividade física intensa com um gasto calórico comparável, ou superior, ao de um treinamento de natação comum.Trabalham as pernas, os braços, a região abdominal, os glúteos, além da capacidade cardiorrespiratória, e tudo isso com muita graça e beleza! Em outras palavras, o nado sereia está se tornando um verdadeiro esporte, tanto que no exterior já estão surgindo os primeiros campeonatos nacionais de nado sereia.

Ao mesmo tempo, o uso da cauda e da nadadeira de sereia não deixa de envolver riscos. Com os pés presos na nadadeira, é preciso saber sustentar-se na água usando apenas as mãos e o tronco, e aprender as técnicas de apneia para minimizar o risco de acidentes aquáticos. Todas essas habilidades e técnicas serão trabalhadas no curso, de forma a permitir que todas as sereias e tritões se movimentem não somente com graça, mas também com segurança nesse meio fascinante que é a água.

Assim convidamos a todas e a todos para conhecer e aprender essa prática divertida e diferente, uma atividade física saudável e segura! Nossos cursos serão realizados na forma de oficina com duração de três meses, aqui na piscina da ESEF. As aulas acontecerão uma vez por semana, nas sextas-feiras, com uma turma no horário das 10h30 às 11h30 e outra das 18h30 às 19h30, com início na sexta-feira dia 6 de abril de 2018. Poderão participar todas as pessoas a partir de oito anos que não tenham medo da água, se movimentam com segurança na água medianamente profunda (até os ombros), e que conseguem afundar na água segurando a respiração, e que não apresentem comprometimento da mobilidade da coluna vertebral (dores lombares, desvios graves etc).

Para inscrever-se é necessário apresentar RG, CPF, comprovante de endereço e atestado médico atestando aptidão para a prática de atividade física. No caso de menores de idade, a inscrição deve ser realizada pelo responsável legal. Para a aula, é necessário vestir sunga ou maiô, touca e chinelo. Não é necessário trazer nadadeira ou cauda; esses materiais são disponibilizados pela ESEF para o uso durante a aula.

Venha conhecer essa atividade e tire suas dúvidas visitando a ESEF ou pelo telefone 4805-7959 e até breve aqui na piscina da ESEF, no mundo da Ariel e do Tritão!

Resumo das informações:

Público-Alvo: pessoas acima de  8 anos que saibam:

                – se locomover em suspensão na água rasa (até os ombros quando em pé)

                – afundar o corpo inteiro, incluindo a cabeça, segurando a respiração e com olhos abertos

                – não tenham diagnóstico de problemas na coluna vertebral (dores, hérnia, desvios graves ou similar)

Turmas de 10 alunos/as

Dia, horário e duração do curso: sextas-feiras das 10h30 às 11h30 ou das 18h30 às 19h30, por três meses (12 aulas)

Inscreva-se já para garantir sua vaga na próxima turma!

Caso os/as participantes desejarem, no final do curso poderá ser organizado um momento para tirar fotografias, a cargo de cada participante (não faz parte do curso).